Discutir igualdade de gênero não é coisa de "mulherzinha". Os benefícios são para toda a sociedade!

Igualdade de gênero parece muitas vezes um assunto só de mulheres. Afinal, somos nós que estamos constantemente combatendo estereótipos e em busca de direitos iguais. Para os homens, tudo parece mais fácil, não é?! Nem sempre.

A questão é que, para que mudanças de fato ocorram e de forma mais rápida, é preciso engajar os homens nessa discussão. Nada (ou muito pouco) vai mudar se eles não entrarem nessa briga.

E não há problema algum em ser um homem feminista – pode contar isso para o seu irmão, amigo, marido… Quem acha que homens e mulheres merecem direitos iguais é feminista e ponto. E que ótimo.

Uma sociedade em que haja igualdade de gênero não beneficiará só as mulheres. Pelo contrário, os homens colherão grandes frutos disso. O site Fast Company fez uma lista de alguns benefícios que os homens podem ter com a igualdade de gênero:

  1. Homens também buscam equilíbrio entre trabalho e vida pessoal

Embora as iniciativas das empresas para possibilitar um equilíbrio maior entre trabalho e família não excluam, intencionalmente, os homens, pesquisas mostram que eles não conseguem tirar proveito disso.

Um estudo feito nos Estados Unidos ao longo de 15 anos descobriu que os homens tendem a obter uma espécie de “bônus papai”. O salário deles aumenta 6% para cada criança que têm, enquanto o de suas esposas (que também trabalham tempo integral) cai cerca de 4% para cada bebê. Os homens trabalham ainda mais horas depois de terem filhos. Já as mulheres tendem a mudar para funções com mais flexibilidade e jornadas reduzidas. Eles podem até estar ganhando mais, mas também estão pagando um preço alto por essas horas extras.

Segundo o estudo “The New Dad: A Work (and Life) in Progress“, do Centro para Trabalho e Família da Faculdade Boston, os homens experimentam o conflito trabalho-família em taxas (pasmem!) similares às mulheres.

Eles também têm dificuldade em balancear trabalho com vida pessoal e família, e estão claramente buscando novas definições do que significa ser um bom pai e um bom homem. No entanto, eles não têm onde explorar essas questões.

De acordo com a reportagem do Fast Company, muitos dos participantes do estudo chegaram a agradecer aos pesquisadores por lhes fazer essa pergunta sobre trabalho e vida pessoal, pois era a primeira vez que alguém os tinha convidado a refletir sobre isso.

  1. Homens também gostariam de ser pais em tempo integral ou “donos de casa”

Nos Estados Unidos, dobrou na última década o número de pais que ficam em casa cuidando dos filhos. Assim, muitas mulheres assumiram a função de “chefe de família” e mantenedoras da casa.

Marielle Jan de Beur, executiva na Wells Fargo, e seu marido, o arquiteto Jim Langley, disseram ao jornal The New York Times que fazia sentido para ele desistir de sua carreira e cuidar dos filhos porque tinha metade do potencial de ganhos de sua esposa. Enquanto alguns pais mentem sobre suas profissões, Langley afirmou não ter vergonha de dizer que é um “pai dono de casa”.

E o que há de errado nisso?

Cada família é única e precisa encontrar a melhor forma de dividir as tarefas domésticas e as contas. Como Langley, certamente outros pais gostariam de ter essa função, mas têm vergonha. Será que se os homens se engajassem mais na discussão sobre gênero não seria mais fácil pensar em novas dinâmicas familiares?

  1. Os homens querem um futuro melhor para suas filhas

Todos os pais, espera-se, querem um bom futuro para seus filhos, sejam eles meninos ou meninas. Diversos estudos indicam que homens com filhas são mais favoráveis ​​à equidade de gênero. Juízes com filhas são 16% mais propensos a decidir casos a favor dos direitos das mulheres; já CEOs homens com filhas tendem a pagar salários mais altos para suas funcionárias. Ou seja, a igualdade de gênero vai impactar todo mundo – mulheres, homens e nossos filhos e filhas.

Discutir igualdade de gênero não é coisa de “mulherzinha”, não.