Carreira feminina é um tópico que rende muito (ainda bem!), mas está sempre cercado de estereótipos e inverdades. O jornal britânico The Guardian fez uma lista com alguns dos mitos associados à carreira das mulheres. Traduzimos e adaptamos a seguir:

1. As mães são menos produtivas do que as profissionais sem filhos

Alguns empregadores ainda têm um pé atrás com profissionais com filhos, principalmente para cargos mais altos, supondo, por exemplo, que como elas não poderão (ou não irão querer) fazer tanta hora extra, não serão tão produtivas quanto aquelas sem crianças. Esse medo, obviamente, é infundado. Pesquisadores da Universidade de Zurique, na Alemanha, descobriram que as mães que trabalham tendem a superar suas colegas sem filhos. E, acredite se quiser, aquelas com dois ou mais filhos tendem a ter um desempenho ainda melhor. Ou seja, as mães fazem acontecer.

2. As mulheres que trabalham fora são mães ruins – ou não tão boas

Em média, as mulheres tendem a gastar uma hora “de qualidade” por dia com seus filhos, enquanto que, em 1974, quando havia muito menos mulheres no mercado de trabalho, gastavam apenas cerca de 15 minutos. Parece estranho, mas quando falamos de tempo de qualidade é isso o que pesquisas mostram. Professores das universidades de Londres e Sevilha acreditam que as mães modernas estão fazendo mais para o desenvolvimento cognitivo de seus filhos do que nunca. Um estudo publicado no New York Times mostrou ainda que as mães profissionais são menos propensas à depressão. Boa notícia para elas e para os filhos.

3. As mulheres são líderes ruins

Uma pesquisa feita pela empresa Gallup nos Estados Unidos mostrou que 40% das mulheres e 29% dos homens prefeririam ter um chefe do sexo masculino do que feminino. No entanto, a pesquisa constatou que as empresas de capital de risco que investem em mulheres superam aquelas que não o fazem. Mulheres no comando tendem a obter resultados melhores – talvez porque elas (nós) saibam que infelizmente ainda temos que nos “provar”, trabalhando o dobro dos homens para ganhar respeito.

Leia também:
E se os homens ouvissem o que as mães que trabalham fora ouvem?
O que as mães profissionais esperam das empresas?