Boa notícia na área! Uma nova pesquisa da Universidade Harvard, a mais prestigiada do mundo, veio para tirar um pouco da culpa das mães que trabalham fora de casa e, por isso, acham que não ficam tempo suficiente com seus filhos.

O estudo conduzido pela professora Kathleen McGinn, da escola de Negócios de Havard, mostra que mulheres cujas mães trabalharam fora são mais propensas a terem uma carreira também. E não é só isso: elas teriam também empregos melhores, assumindo cargos de supervisão e ganhando salários mais altos do que aquelas cujas mães foram donas de casa em tempo integral. As informações são da Working Knowledge, uma publicação online da Harvard Business School.

A pesquisa ouviu 13.326 mulheres e 18.152 homens de 24 países em desenvolvimento, entre 2002 e 2012. Eles responderam a uma série de questões sobre carreira, vida doméstica e relação entre os gêneros. As respostas a uma pergunta em especial atraíram a atenção dos pesquisadores: Sua mãe teve algum trabalho remunerado entre o seu nascimento e os seus 14 anos de idade?

“Não importava para nós se essa mulher trabalhou por alguns meses, um ano ou se trabalhou 60 horas por semana durante toda a infância da pessoa. Estávamos interessados apenas em saber se ela teve um modelo que lhe mostrou que mulheres trabalham tanto dentro como fora de casa”, explica Kathleen.

Os benefícios de ter esse modelo de “mãe-profissional” não são exclusivos das mulheres –  que tendem a trabalhar fora também e ter salários mais altos – os homens também ganham: eles são mais propensos a dedicar mais tempo à família e ajudar nas tarefas domésticas.

Basicamente, ao trabalhar fora, as mães passavam aos filhos homens a ideia de que o trabalho doméstico deve ser dividido. Maravilha, não?

As conclusões do estudo, diz Kathleen, são bem claras: “Há muita culpa quando ambos os pais trabalham fora de casa. Mas o que essa pesquisa nos diz é que, ao fazer isso, você não só está ajudando sua família economicamente e a si mesma profissional e emocionalmente, como também está ajudando seus filhos. Você os ensina que trabalhar em casa e fora é  igualmente importante, tanto para homens como mulheres”. diz.

Ou seja, resumindo tudo: trabalhar fora é bom para os seus filhos.

Pronto, agora você tem uma comprovação científica para deixar essa culpa toda de lado!